Voltar
Radar da inovação

Colégio CEM desenvolve plataforma digital MinicidadeON

Empreendedorismo também passa a fazer parte da matriz curricular

28/05/2021
Nome da Cooperativa:Cooperativa de Trabalho Magna
Ramo:Trabalho Produção de Bens e Serviços
Região:Sul
Palavras-chave:Inovação de produto, Experiência do usuário, criatividade, equipe
Resumo:

O Colégio CEM, mantido pela Cooperativa de Trabalho Magna, desenvolveu uma plataforma digital e adotou a disciplina de empreendedorismo para melhorar o projeto “Minicidade Cooperativista”. Com a plataforma MinicidadeON, a cooperativa conseguiu resolver problemas antigos e aumentou a participação dos alunos.

CONTEXTO

O Colégio CEM é mantido pela Cooperativa de Trabalho Magna, que até 2012 se chamava Cooperativa Educacional Magna (CEM). A mudança de nome ocorreu após a sanção da Lei nº 12.690. A cooperativa atua na cidade de Concórdia (SC) e acredita que, através do cooperativismo, é possível desenvolver a educação integral do indivíduo, abrangendo não apenas o conhecimento formal e sistematizado, mas também a construção de valores que auxiliem para um convívio social mais humanizado.

Prova disso é que, desde 2007, o Colégio CEM mantém a “Minicidade Cooperativista”, com apoio de instituições como OCESC, Sescoop/SC, Copérdia, Sicoob Crediauc e Embrapa. A ideia é trazer um projeto pedagógico inovador onde é proporcionado às crianças experiências reais de cidadania e vida comunitária, seguindo os princípios do cooperativismo. Através de eleições, que envolvem toda a escola, são eleitos o prefeito, o vice e os vereadores. Os pequenos cidadãos elaboram projetos e executam ações importantes para a manutenção e o desenvolvimento da minicidade.

Porém, com o passar do tempo, a cooperativa constatou situações conflitantes entre os alunos, com algumas turmas desunidas, desinteressadas pelos estudos e resistentes em aceitar situações novas. Por isso, houve o entendimento de que era necessário algo mais atrativo e que conversasse com eles, que os envolvessem com resultados efetivos daquela aprendizagem.

A Minicidade surgiu como um projeto focado em alunos da Educação Infantil e Ensino Fundamental I. Mas logo também surgiu a necessidade de aplicar melhorias e ampliar o projeto para alunos do Ensino Fundamental II e Ensino Médio.

DESAFIOS

Depois de entender suas necessidades, a cooperativa organizou seus desafios a fim de melhorar o projeto da Minicidade, que eram os seguintes:

  • Adotar metodologias inovadoras que pudessem encantar os alunos e ajudar a colocar em prática o conteúdo aprendido no programa;
  •  Levar o programa da Minicidade Cooperativista para o digital, criando uma plataforma digital para a Minicidade;
  • Encontrar parceiros para o desenvolvimento da ferramenta digital;
  • “Pivotar” a metodologia de ensino, que até então era totalmente lúdica e presencial, para uma novidade digital, abstrata, que surtisse resultados, encantando os alunos, ampliando suas habilidades e competências com excelência;
  • Envolver as famílias no processo educacional tendo aprovação, para que o educando vivesse o momento, o mais próximo da realidade possível, constituindo seu negócio, controlando seus recursos financeiros, correndo o risco de errar;
  • Fomentar e estimular nos alunos o desenvolvimento de competências e habilidades relacionadas à abertura e gestão de projetos empresariais cooperativos;
  • Estimular mais condutas cooperativas, equilíbrio para lidar com incertezas, autoconfiança, perseverança, criatividade, iniciativa, tomada de decisões, superar obstáculos, visão de futuro e tomar como lição os erros cometidos durante o processo.

DESENVOLVIMENTO

O processo de desenvolvimento se iniciou com a busca de parcerias e recursos para tirar do papel a plataforma on-line, que foi batizada de MinicidadeON. Além da parte tecnológica, a cooperativa informa que o processo de implementação passou por várias etapas:

  • Formação de todos os associados (professores) em empreendedorismo;
  • Apresentação e desenvolvimento interno da ideia inicial;
  • Reestruturação do currículo escolar das turmas do 7º ao 9º ano do EFII, contemplando a nova disciplina de empreendedorismo;
  • Apresentação da ementa e da plataforma para pais e alunos;
  • Formação dos alunos na disciplina de empreendedorismo, culminando no plano de negócio e criação das empresas;
  • Ajustes e adequações da plataforma;
  • Cadastro dos alunos e abertura de contas-corrente na CrediCEM (Minicooperativa de crédito dos alunos da CEM), proporcionando educação financeira aos participantes;
  • Registro das empresas constituídas pelos alunos junto à MiniOCESC, projeto que objetiva fomentar o empreendedorismo na Minicidade Cooperativista;
  • Abertura das contas Pessoa Jurídica na CrediCEM;
  • Alimentação dos dados dos produtos das empresas mirins (lojinhas de e-commerce) na plataforma;
  • Incremento dos impostos para a Prefeitura da Minicidade.

RESULTADOS

A plataforma está ativa desde maio de 2018 e, desde então, a cooperativa vem colhendo bons resultados. A começar pela melhoria nos serviços ofertados, que já é algo notado pelos clientes como um diferencial. Além disso, a cooperativa entende que se abriu uma grande possibilidade de expandir os serviços da cooperativa, sempre alinhando aos processos de inovação.

Segundo dados do Colégio CEM, 23,1% dos pais entrevistados consideram importante a implementação da disciplina de empreendedorismo na matriz curricular e 76,9% consideram muito importante.

Em relação ao grau de contribuição da disciplina, no sentido de despertar o interesse do estudante para assuntos como sustentabilidade, economia, empreendedorismo e sociedade, 15,4% dos pais consideram importante, e 84,6%, muito importante.

Referente ao estímulo no desenvolvimento de confiança, tomada de decisões, trabalho em equipe, iniciativa, responsabilidade e ideias criativas, o resultado foi: 55,6% importante e 44,4% muito importante.

Em relação à aplicabilidade dos conteúdos trabalhados em sala, tanto na vida pessoal atual quanto futuramente como um profissional, os alunos consideram: 41,7% importante, 83,3% muito importante.

Por fim, relativo ao uso da plataforma da MinicidadeON como ferramenta metodológica que permite ao aluno empreendedor criar e mostrar soluções e serviços, os alunos consideram: 66,7% importante, 8,3% muito importante e 25% não importante.

PRÓXIMAS INICIATIVAS

Há um consenso na cooperativa de que se trata de um processo contínuo, de constante aprendizagem para todos os envolvidos. Criada em 2018, a plataforma necessita de alguns ajustes e atualizações, sendo que algumas delas foram sugeridas pelos próprios alunos. O objetivo daqui para frente é aperfeiçoar cada vez mais a plataforma e o projeto da Minicidade como um todo.

Contato do responsável:

Liciane Giacomin Rovani,

coordenadora pedagógica do Colégio CEM

cem@magna.coop.br

Conteúdo desenvolvido
em parceria com

Coonecta