Voltar
Radar da inovação

Coagru: escola técnica para desenvolvimento dos cooperados

Além da capacitação, a Escola Técnica Avícola ajuda a elevar produtividade e ganhos financeiros dos aviários

28/05/2021
Nome da Cooperativa:Coagru Cooperativa Agroindustrial União
Ramo:Agropecuário
Região:Sul
Palavras-chave:Inovação de processo, Experiência do usuário, equipe
Resumo:

Após identificar dificuldades na avicultura, a cooperativa Coagru desenvolveu uma escola técnica dentro das suas dependências para qualificar a mão de obra e elevar a produtividade dos cooperados. O investimento para viabilizar o projeto foi obtido junto a uma cooperativa de crédito do Sicredi.

CONTEXTO

A Coagru é uma cooperativa agroindustrial que trabalha em cinco frentes: farinha de trigo e derivados; sementes; avicultura; rações e suplementos; e processamento de madeira. Ao iniciar a atividade avícola, a cooperativa constatou que se tratava de uma área que demandava investimentos em estruturas e tecnologia, aplicação de conhecimento técnico, gestão do negócio e, sobretudo, mão de obra qualificada.

Como a atividade de produção de frango de corte era algo novo para os cooperados, nem todos contavam com todos esses requisitos em sua propriedade, o que refletia nos resultados da produção, que comparativamente eram menores do que em outras integradoras.

A principal dificuldade era encontrar pessoas qualificadas para trabalhar nos aviários. Havia também a necessidade de criar condições de demonstrar na prática que as variáveis acima mencionadas devem estar em equilíbrio.

Porém, a região não contava com estrutura disponível para atender essas demandas, surgindo, assim, a proposta de implantação de uma escola técnica própria. A ideia surgiu por solicitação dos próprios cooperados e do entendimento da cooperativa da necessidade de treinar pessoas para uma melhor gestão e manejo da produção de frango de corte, a fim de elevar os índices produtivos.

DESAFIOS

Entre os desafios da Coagru, estava a capacitação e difusão de conhecimentos técnicos sobre a avicultura de corte, para qualificar mão de obra e melhorar os indicadores econômicos da integração avícola da cooperativa.

Para a criação da escola, buscava-se um local de fácil acesso e com condições técnicas, físicas e ambientais para instalação do aviário.

Era preciso elaborar projeto e cronograma físico e financeiro, além do levantamento e definição dos equipamentos e contratação de financiamento que oferecesse viabilidade para a atividade.

Por fim, havia ainda o desafio de elaborar um programa de treinamento baseado no perfil dos participantes e identificar quais indicadores precisavam ser melhorados.

DESENVOLVIMENTO

O desenvolvimento da Escola Técnica Avícola fez parte do plano de atividades aprovado pela assembleia geral ordinária (AGO) de 2015. Definiu-se que todo o projeto seria realizado dentro do ambiente da cooperativa no Escritório Avícola.

Para a implantação, além de recursos próprios, foi necessário o aporte de R$ 1,5 milhão para as obras, que incluiu: terraplenagem, aviário de 150 m x 16 m, alojamento, sala de aula para participantes dos treinamentos, casa do funcionário, poço artesiano, gerador de energia, aquisição dos equipamentos para o aviário e estruturas para atendimento das legislações vigentes.

O agente financeiro que acreditou no projeto e proporcionou sua viabilização foi a cooperativa Sicredi Vale do Piquiri, que é uma parceira da Coagru no fomento da atividade avícola na região.

A obra civil foi executada por empresa contratada e os equipamentos foram adquiridos a partir de definição técnica com base na disponibilidade das melhores tecnologias do mercado. Toda a estrutura física está incorporada ao patrimônio da cooperativa, gerando receita com os lotes de frango produzidos, tornando-se uma atividade com resultado próprio.

A frente de Avícola da cooperativa constituiu uma equipe responsável pelo acompanhamento e execução do projeto, que pode ser resumido em três etapas principais:

  • Definição de projeto civil, orçamento e levantamento de linha de financiamento para construção do aviário, aquisição de equipamentos e demais edificações para a escola;
  • Elaboração do programa de treinamento;
  • Identificação do técnico responsável pelos treinamentos.

Após a inauguração foi realizada divulgação junto ao quadro social e comunidade através dos meios de comunicação da cooperativa.

Do ponto de vista pedagógico, a cooperativa desenvolveu um modelo de treinamento, com teoria e prática, que possibilitou aos participantes a experimentação e utilização de melhores tecnologias, organização da propriedade, manejo sanitário/biosseguridade e gestão do negócio. A escola também tem como diferencial a realização de testes com novos equipamentos.

Em resumo, o projeto foi criado para proporcionar as condições necessárias para o bom desenvolvimento dos lotes de frango e, sobretudo, elevar os ganhos financeiros e de produtividades nos aviários dos participantes.