Voltar
Radar da inovação

Certel e Sicredi: intercooperação para fomentar a sustentabilidade

Projeto “A energia que nos une” financiou uma nova hidrelétrica e venceu o prêmio SomosCoop na categoria Intercooperação

23/06/2021
Nome da Cooperativa:Cooperativa Regional de Desenvolvimento Teutônia - Certel
Ramo:Infraestrutura
Região:Sul
Palavras-chave:disrupção, Inovação de serviço, programa de inovação, intercooperação
Resumo:

A Certel firmou parceria com cooperativas do Sicredi para financiar a nova hidrelétrica Vale do Leite. O objetivo era fortalecer cada vez mais a prestação do serviço de distribuição de energia e promover a qualidade de vida dos associados através da ampliação da geração de energia renovável e limpa. Como resultado, a iniciativa, chamada “A energia que nos une”, venceu a categoria de Intercooperação do prêmio SomosCoop 2020.

CONTEXTO

Em visita de representantes da Certel às quatro cooperativas Sicredi da região, já com o objetivo de encontrar oportunidades de intercooperação, surgiu a ideia de unir forças para realizar o projeto da nova hidrelétrica, uma vez que as cinco cooperativas, juntas, contribuem para o desenvolvimento regional.

A meta era ampliar a geração de energia própria, buscando 100% de autossuficiência da distribuição de energia. Como o incremento depende do potencial de cada projeto, o importante era a viabilidade financeira da obra, onde entraram as cooperativas de crédito.

A partir do momento em que identificaram a oportunidade de construir uma nova fonte de energia limpa e sustentável na região, Certel e Sicredi atacaram juntas o desafio de tirar o projeto do papel e promover a iniciativa de inovação.

Para isso, foi necessário um grande processo de intercooperação que envolveu nada menos que cinco cooperativas e um projeto de 18 meses e 50 milhões de reais investidos em financiamento.

DESAFIOS

Um dos principais desafios para viabilizar a obra era encontrar uma instituição com capacidade de financiar 100% do empreendimento e que conseguisse oferecer taxas de juros e prazos de pagamento adequados, para atender a um retorno do investimento apropriado. Achar parceiros, em especial cooperativas, que pudessem atender a esse requisito, era essencial para o sucesso do empreendimento.

Por já ter experiência prévia em outros tipos de negociações, a Certel e o Sicredi juntaram forças para realizar um acordo o mais rápido possível. Afinal, o projeto apresentava grande possibilidade de potencializar os resultados para os associados da Certel – que em grande escala são também associados do Sistema Sicredi.

O desafio, então, era integrar mais de uma cooperativa para tornar o financiamento possível. As conversas avançaram para as quatro cooperativas de crédito do Sistema Sicredi que atendem a região onde a Hidrelétrica Vale do Leite será construída: Sicredi Região dos Vales, Ouro Branco, Integração RS/MG e Botucaraí.

DESENVOLVIMENTO

Depois de identificar a oportunidade de trabalhar a intercooperação em um projeto de alto impacto, tanto do ponto de vista da inovação quanto da sustentabilidade, começou a busca pelo financiamento do projeto.

A consulta às instituições financeiras, aliada à já existente força da intercooperação dos ramos Infraestrutura e Crédito, levou a negociações muito rápidas e transparentes entre Certel e Sicredi. Isso tornou a obra viável em pouco tempo, mesmo sendo necessário fazer um investimento considerável de recursos.

Visto que uma cooperativa, sozinha, não teria capacidade para financiar todo o empreendimento, as negociações avançaram com a inclusão de mais três cooperativas, integrando o conjunto Certel, Sicredi Região dos Vales, Sicredi Ouro Branco, Sicredi Integração RS/MG e Sicredi Botucaraí.

Foram captados quase 50 milhões de reais para o projeto, e o financiamento foi distribuído igualmente entre as cinco instituições. Assim, de forma inédita, quatro cooperativas do Sistema Sicredi financiaram a construção da Hidrelétrica Vale do Leite da Certel. O objetivo era fortalecer a união entre as cooperativas e manter os resultados destas operações na própria região, para aumentar o desenvolvimento regional e a melhoria da qualidade de vida dos associados.

A Hidrelétrica Vale do Leite tem previsão de ficar pronta no final de 2022, quando passará a ampliar a geração própria e fortalecerá ainda mais a qualidade no fornecimento de energia. Por fim, esse projeto está alinhado com os demais investimentos realizados constantemente pela Certel, cujo planejamento é muito voltado às necessidades da região, principalmente quanto à capacidade da matriz energética e o foco na qualidade de vida de nossos associados.

Contar com a geração de energia elétrica confiável é fundamental para atração de investimentos e para a produção agrícola, muito forte na região. A cooperação com o Sicredi somada aos frequentes investimentos que a Certel já faz, potencializam os resultados dos associados. Além disso, as iniciativas mantêm todos os recursos desta operação na própria região e desenvolvem as comunidades de forma econômica e social.

RESULTADOS

A hidrelétrica Vale do Leite se soma à usina solar fotovoltaica e às quatro Hidrelétricas já existentes: Salto Forqueta, Boa Vista, Rastro de Auto e Cazuza Ferreira. A soma da potência instalada das usinas existentes equivale a 19,05 MW e atende a aproximadamente 57.100 pessoas.

A Hidrelétrica Vale do Leite será a quinta usina hidrelétrica geradora e se localizará no Rio Forqueta, entre os municípios de Pouso Novo e Coqueiro Baixo. A usina terá 6,40 MW de potência instalada, podendo atender a 19.200 pessoas, com previsão de inauguração para o fim de 2022.

O financiamento com o Sistema Sicredi, por sua vez, trouxe flexibilidade e agilidade nos processos administrativos, além de trazer capital 100% terceiro e ótimas condições, garantias adequadas e conta reserva nula, o que permitiu viabilizar o empreendimento com excelentes indicadores financeiros.

Com a nova hidrelétrica, a soma das potências de geração de energia atingirá 25,45 MW, podendo atender a 76.300 pessoas. A capacidade máxima de geração anual equivale a 139.311,20 MWh/ano. Com esta energia gerada, o grupo Certel possuirá um terço de autossuficiência da sua distribuição de energia, equivalente a atender todo seu sistema elétrico por 123 dias.


PRÓXIMAS INICIATIVAS

A hidrelétrica Vale do Leite ainda está em construção, mas a expectativa é de que os resultados vão além da grande quantidade de energia limpa gerada nos próximos anos. Há também a movimentação da economia e desenvolvimento socioeconômico pela constante geração de receita e arrecadação aos municípios. Além disso, juntando os associados das cinco cooperativas, há mais de 296 mil pessoas que vão se beneficiar de forma direta ou indireta com a iniciativa.

Contato do responsável:

Julio Cesar Salecker

diretor de Geração de Energia da Certel

julio@certel.com.br

Conteúdo desenvolvido
em parceria com

Coonecta