Fique por dentro

PIX: inovação na hora de pagar e receber

Novo sistema brasileiro de transferências monetárias eletrônicas instantâneas está chegando e nós temos uma pergunta pra você: como está a adaptação da sua coop para essa revolução?

TENDÊNCIAS09/10/20207 minutos de leitura

A partir do dia 16 de novembro, o PIX - o novo sistema brasileiro de transferências monetárias eletrônicas instantâneas - entra em operação no país. O sistema é inovador e promete revolucionar os meios de pagamento, pois será mais ágil e barato que os atuais DOC e TED, sem falar que ele vai funcionar 24h, sete dias por semana e 365 dias por ano.

A expectativa é de que a ferramenta alavanque a competitividade e a eficiência do mercado, baixe o custo das transações financeiras em si, aumente a segurança das pessoas e aprimore a experiência dos clientes. Vale lembrar que o PIX não substitui os meios de pagamento tradicionais, mas promete agilidade nas operações de crédito que, em alguns casos, pode demorar até 24 horas para ocorrer. Ah, é muito importante dizer: o Banco Central vai regular todo o processo, o que confere mais segurança às operações.

O assunto tem sido bastante divulgado pela imprensa e, por isso, você deve estar bem informado sobre o PIX. Mas, na prática, o que sua cooperativa de crédito está fazendo a respeito? Como isso pode facilitar pagamentos em sua coop (independentemente do ramo dela)? Ter as respostas para essas perguntas vai garantir uma vantagem na hora que o PIX começar a operar. E se quiser saber mais sobre o PIX a melhor fonte é o Banco Central.

E pensando nesse contexto todo, elaboramos esse artigo para falar sobre como as coops podem inovar, mantendo-se relevantes e competitivas, a partir do início da revolução PIX. Vamos lá? Esse é, sem dúvida, um dos maiores avanços do Sistema Financeiro Nacional (SFN), e também é tido como uma das maiores inovações da história econômica do país. É por isso que o Sistema OCB, recentemente, realizou até um seminário digital para tirar todas as dúvidas das cooperativas. Se você clicar aqui vai acessar uma matéria e os links mais úteis, divulgados nesse evento on-line.

Para quem paga, o objetivo é a realização de um pagamento instantâneo de forma fácil, simples, intuitiva e rápida – quase como se fosse um pagamento realizado com dinheiro em espécie.

E quem paga, tem três possibilidades diferentes. São elas:

a.    por meio da utilização de chaves ou apelidos para a identificação da conta transacional, como o número do telefone celular, o CPF, o CNPJ ou um endereço de e-mail;

b.    via QR Code (estático ou dinâmico); ou

c. por tecnologias que permitam a troca de informações por aproximação, como a tecnologia near-field communication (NFC).

Viu só, porque os especialistas do setor financeiro já afirmam que o PIX é uma das maiores inovações da história do SFN? Além disso, vale destacar um outro viés desse sistema. É que ele revolucionará totalmente a cadeia do mercado de pagamentos, mudando a forma, a velocidade e o custo que os pagamentos são feitos. Veja nesse esquema do Banco Central com os benefícios dos pagamentos instantâneos:

 Fonte: Banco Central do Brasil

Como vimos até aqui, o PIX está chegando pra ficar e vai exigir que muitos negócios se reinventem, pois haverá uma corrida rumo à otimização das redes de atendimento, já que tudo será acelerado. A lógica é simples: se é mais barato e é mais simples, certamente a maior parte das pessoas com contas em banco vai aderir. E é aí que mora a grande sacada de quem está atento à evolução do mercado.

Para se ter uma ideia, hoje em dia todos os negócios têm o foco no consumidor e buscam oferecer a melhor experiência possível ao seu cliente. Sabe o porquê? Porque cliente satisfeito volta; cliente feliz divulga; cliente contente indica. Então, com o PIX, as cooperativas que vão se destacar são aquelas responsáveis por criar uma jornada positiva e memorável. (Ah, a gente já falou disso aqui no InovaCoop. Clique e saiba mais sobre a jornada do usuário e sobre o mapa de empatia)

Isso significa que a cooperativa deve direcionar todos os seus esforços para atender as necessidades dos clientes, gerando uma surpresa muito positiva. Isso leva à fidelização do cliente e cria um relacionamento de longo prazo com sua cooperativa. Para isso, é importante conhecer o cliente de perto para fazer a gestão do relacionamento de forma sistemática, preferencialmente com o auxílio da tecnologia.

Com a chegada do PIX o mercado vai se transformar. Isso é fato! Então, toda instituição financeira quer que seu cliente a escolha para fazer as transações e que seja fiel. Afinal, com o cooperado dentro da sua plataforma, as chances de conhecer melhor os tipos de serviço que ele consome e busca são muito maiores e efetivas.

Ah, e não basta só mostrar que tem um bom app, com muitos serviços e produtos na prateleira. O segredo do sucesso é oferecer todos os produtos e serviços do catálogo com eficiência e em um tempo mais curto do que a concorrência. E o tic-tac do relógio está em ritmo acelerado e a concorrência já passou a quinta marcha e a todo vapor pra conquistar o seu cliente/cooperado. Agilidade, neste momento, é que vai trazer o cooperado pra dentro e mostrar o que ele ganha escolhendo a sua cooperativa. Mais do que nunca, os vínculos são essenciais para a sobrevivência do negócio.

Dito isso e conhecendo a realidade das cooperativas de crédito do país, é bem concreto afirmar que elas têm a oportunidade de oferecerem essa experiência positiva. Aliás, o que diferencia uma coop de crédito de uma outra instituição financeira é exatamente a sensação de pertencimento. E quanto mais pertencente, mais fará sentido que o cooperado gere a chave do PIX dentro do aplicativo da cooperativa, na qual ele é cliente e dono do negócio ao mesmo tempo.

A gente foi explicando tudo isso para dizer o seguinte: o setor financeiro, em breve, será fortemente impactado com a chegada do PIX e, claro, com o Open Banking e novos modelos de fintechs que não param de surgir. Dessa forma, nesse ambiente financeiro, inovar nos processos e produtos é uma regra para as cooperativas de crédito se manterem relevantes junto aos seus cooperados.

E as cooperativas de outros ramos também precisam ficar atentas, pois o tema pagamentos traz transformações que impactam todos os negócios e abrem um leque de possibilidades para que alguns processos sejam criados ou otimizados. Isso quer dizer que, de agora em diante e mais do que nunca, todos os dias surgirão novidades tecnológicas que facilitam a vida e tornam a experiência do cliente mais positiva.

Assim, para se manter no mercado, é necessário manter um olho no peixe e outro no gato, ou seja, é essencial estar atento às novidades (quem sabe até lançando tendências), sem descuidar dos processos básicos que ainda são bastante relevantes para consumidores não adaptados às mudanças que ocorrem diariamente. 

Seja no crédito ou em outros ramos, ganhará relevância quem ofertar melhor experiência para o cooperado/cliente. E as cooperativas precisam ver esse cenário não como ameaça, mas como oportunidade de protagonismo. Os grandes ecossistemas vão ganhar cada vez mais relevância e não existe um ecossistema tão organizado e forte como o cooperativismo. Seguiremos no rumo à inovação, mantendo nosso DNA cooperativista, afinal, inovar faz parte do nosso modelo de negócios desde que a primeira cooperativa foi criada.

Quem quiser se aprofundar no tema inovação em cooperativas, recomendamos a leitura de nosso e-book: Cultura de Inovação no Cooperativismo 

E se você ainda tem dúvidas sobre como o PIX vai funcionar, na prática, é só clicar aqui pra saber de tudo o que você vai precisar no seu negócio.

Conteúdo desenvolvido
em parceria com

Sistema OCB