Fique por dentro

Divulgados os desafios do programa InovaCoop Conexão com Startups 2ª edição

Startups interessadas em desenvolver soluções podem se inscrever até 23 de janeiro


 

 

GESTÃO DA INOVAÇÃO13/12/20214 minutos de leitura

O Sistema OCB divulgou na sexta-feira (10/12) a lista dos cinco desafios que participam da segunda edição do programa InovaCoop Conexão com Startups. Com foco no Agro, as soluções procuradas envolvem sistemas de logística, de estimativa de produção, de precificação, de controle da demanda/oferta e de fracionamento de produtos. Os desafios selecionados são das cooperativas Cemil (MG), Coopama (MG), Coplana (SP), Santa Clara (RS) e Uneagro (SC).

Com a divulgação dos desafios, a próxima etapa prevê as inscrições das startups que tenham interesse em, junto com as cooperativas, iniciarem o desenvolvimento das soluções. O prazo vai até 23 de janeiro de 2022. Em seguida, as três startups com as propostas mais promissoras para cada um dos desafios participam de um período de imersão para refinamento das soluções. A melhor solução será escolhida para realizar a prova de conceito (POC), ferramenta utilizada para testar uma funcionalidade e viabilidade de uma ideia ou conceito em baixa escala.

O programa utiliza a inovação aberta a partir de parcerias ou intercooperação para, junto com startups, buscar a melhor solução para os desafios apresentados. O objetivo é aumentar a eficiência dos projetos, reduzir custos e riscos, melhorar o retorno sobre os investimentos e ampliar as oportunidade e fontes de receita. Outro ponto importante é que as soluções propostas precisam ter potencial para serem escalados para outras cooperativas, contribuindo para o desenvolvimento da cultura de inovação e consolidando as iniciativas de sucesso.

Desafios selecionados

Integração e logística (Coopama/MG): O volume de produtos entregues para uma grande quantidade de cooperados em um curto espaço de tempo dificulta a programação. Há necessidade de maior eficiência na organização das rotas de entrega para reduzir custos e aumentar a qualidade do serviço prestado. Além disso, há necessidade de melhorar a comunicação entre os produtores e os setores internos envolvidos. Atualmente, sem um sistema de roteirização informatizado, a Coopama depende unicamente da intervenção humana, o que aumenta as chances de erro.

Precificação (Cemil/MG): O leite UHT, responsável por aproximadamente 50% do faturamento da cooperativa, sofre constante oscilação de preço e, com isso, é dificultada a previsibilidade mínima para a definição do preço de venda. A previsão, contudo, é fundamental para negociar com o varejo. Hoje, a cooperativa não possui um modelo matemático para desenhar o cenário das variações do preço do leite no mercado. A cooperativa procura, assim, uma solução que garanta maior assertividade nessa previsão.

Fracionamento de produto (Santa Clara/RS): A cooperativa enfrenta o desafio de conseguir fazer o fracionamento de produtos, como o queijo, em pesos específicos. O corte em cunhas é dificultado pela variação nas formas dos queijos, já que o processo não é 100% automatizado. Como consequência, a atual variação de pesos não está dentro da tolerância aceitável e existe muita perda no corte quando feito por lâminas, o que também não deixar o produto visualmente aceitável para o consumidor. O objetivo é realizar o corte dos produtos com o mínimo de variação possível, atendendo a normas legais do Inmetro, além de minimizar descartes a nível industrial.

Estimativa de produção (Coplana/SP): O desafio enfrentado pela cooperativa é a previsão e a estimativa de produção do amendoim, devido a particularidades da sua cultura, pois, como as vagens são formadas no interior do solo, a percepção visual da produtividade da lavoura é dificultada. Atualmente, o corpo técnico da cooperativa faz a estimativa de produtividade das lavouras através de uma interpretação visual, o que acarreta uma margem de erro considerável. Ao ter uma estimativa mais assertiva, a cooperativa pode se planejar melhor para o recebimento, beneficiamento e comercialização da produção, tornando o negócio mais eficiente e rentável.

Gestão de demanda/oferta (Uneagro/SC): Nos últimos tempos, percebeu-se uma progressiva baixa da participação dos cooperados na vida da cooperativa. Atualmente, dos mais de 600 cooperados, menos de 30 passam seus trabalhos pela Uneagro. Com isso, os cooperados perdem a oportunidade de se beneficiar com a gestão contábil e fiscal que a cooperativa oferece. O desafio proposto é promover a convergência entre a oferta dos serviços dos profissionais cooperados e a respectiva demanda pelo serviço, por pessoas físicas e/ou jurídicas, públicas e/ou privadas e outras cooperativas. 

Para saber mais sobre os desafios, veja aqui.

 

 

Conteúdo desenvolvido
em parceria com

Sistema OCB