Fique por dentro

Mix de Fomento: conheça duas cooperativas que buscaram fontes de financiamento com apoio do Sistema OCB

Sorteada pelo Sistema OCB, a Optar Orgânicos e a Coprel, membro do GT InovaCoop, receberam consultoria para mapear oportunidades de financiamento de projetos.

MÉTODOS E FERRAMENTAS11/07/20247 minutos de leitura

A 2ª edição da Pesquisa de Inovação no Cooperativismo Brasileiro, realizada pelo Sistema OCB, revela que a falta de dinheiro é a principal dificuldade que as cooperativas enfrentam para executar projetos inovadores. Para lidar com isso, um caminho é buscar fontes externas de financiamento. O Mix de Fomento da ABGI é uma ferramenta para encontrá-los!

Segundo a ABGI, a ideia é criar um mix balanceado de instrumentos de fomento que abranja recursos não reembolsáveis, reembolsáveis, recursos humanos, incentivos fiscais e outras formas de apoio. As fontes de financiamento variam de acordo com a natureza dos projetos de inovação e a necessidade da cooperativa.

Diante disso, o Sistema OCB convidou duas cooperativas para participar do Mix de Fomento, com consultoria da ABGI, a fim de encontrar fontes de financiamento adequadas para seus projetos. São cooperativas de diferentes portes, regiões e ramos de atuação, mostrando como a metodologia pode ser aplicada em diversas ocasiões. O Mix de Fomento tem três etapas:

1. Tudo começa a partir de entrevistas com a cooperativa com o objetivo de conhecer os projetos apresentados e o potencial de inovação em cada um deles.

2. Depois disso, a ABGI busca e seleciona oportunidades de fomento aderentes às iniciativas selecionadas.

3. Ao final, ocorre a reunião de entrega das oportunidades encontradas e do plano de alavancagem de fomento, com visão de curto, médio e longo prazo, além de orientações.

Conheça, então, as duas cooperativas que participaram do Mix de Fomento com aconselhamento da ABGI a convite do Sistema OCB!

Optar Orgânicos

A primeira cooperativa a participar do Mix de Fomento da ABGI com apoio do Sistema OCB foi a Optar Orgânicos. Fundada em 2019, a Optar Orgânicos atua em uma região semiárida no interior do Ceará e tem a produção de acerola como carro-chefe. A cooperativa agropecuária foi sorteada após participar do lançamento da segunda Pesquisa de Inovação no Cooperativismo Brasileiro, durante o Cooptech Summit de 2023.

“Lá, eu tive a oportunidade de expressar que as cooperativas pequenas, que estão na ponta, têm de acessar fontes de fomento. A gente sabe que essas fontes existem, mas é complexo para conseguirmos acessá-las”, narra Iran Arcino, diretor-presidente da Optar Orgânicos.

Para começar, a ABGI conheceu a cooperativa mais a fundo, assim como seus planos para montar uma agroindústria a fim de processar a produção. O objetivo da Optar Orgânicos é construir uma unidade de beneficiamento para agregar valor aos seus produtos.

Com as informações sobre o projeto da cooperativa em mãos, a ABGI buscou e apresentou opções de financiamento adequadas. “Conhecendo nossas necessidades, eles foram atrás de fontes em que a Optar Orgânicos é elegível e trouxeram alternativas de fontes não reembolsáveis e linhas de crédito”. A cooperativa deu seguimento a algumas oportunidades mapeadas e agora aguarda retorno das entidades.

Mapeando oportunidades para pequenas cooperativas

Arcino avalia que muitas vezes, pequenas cooperativas não têm estrutura ou expertise para mapear oportunidades de financiamento. Dessa maneira, realizar o Mix de Fomento com acompanhamento da ABGI pode fazer uma grande diferença.

“Vemos agora que tem muitos recursos, tem muita coisa para a gente usar. No entanto, não usamos porque não sabemos como chegar até essas fontes de fomento. Falta conhecimento sobre linhas de crédito e também falta conhecimento sobre como acessá-las”, ele explica.

Coprel no Mix de Fomento: energia e impacto social

A gaúcha Coprel, que atua no setor de energia e telecomunicação, é outra cooperativa que participou do Mix de Fomento da ABGI a convite do Sistema OCB. Para decidir quais projetos seriam apresentados, o setor de inovação da Coprel ouviu os facilitadores das áreas internas para selecionar três projetos:

Avaliação social do impacto: o projeto almeja entender os impactos da cooperativa na sociedade considerando retorno financeiro, expectativa de vida e sucessão familiar, de forma a gerar impactos econômicos positivos para uma determinada comunidade.

Análise de informações de distribuição: avaliar as condições climáticas e o histórico das redes de distribuição para entender o comportamento de suas condições a fim de antecipar possíveis problemas para preveni-los antes que eles gerem prejuízos aos usuários.

Geração de energia: o projeto almeja desenhar modelos de otimização de geração na busca por melhorar o rendimento das usinas.

Cada um desses projetos passou por um processo de desenvolvimento do escopo a partir de informações bibliográficas, recursos necessários e definição de metas. Eles foram apresentados para a ABGI no decorrer de três reuniões online. Paralelamente, a cooperativa também saiu em busca de parcerias para aprimorar os projetos.

“Posteriormente, vamos estruturar esses projetos para a ABGI ter mais subsídios ao avaliá-los”, explica Jackson Samuar, orientador de inovação da Coprel. A partir disso, a ABGI levantou e apresentou as possibilidades disponíveis de financiamento para os projetos da Coprel.

“Eles pegaram cada projeto e detalharam, criando um índice para cada um deles e lá dentro classificaram quais fomentos podemos utilizar, como fundos do BNDES e outros”. O levantamento inclui prazos e valores que a cooperativa poderia levantar para as fontes de financiamento de cada um de seus projetos de inovação.

A importância do fomento para a inovação

Agora, a Coprel está desenvolvendo as ideias para apresentá-las às fontes de financiamento mapeadas. “Estamos recebendo os retornos para conseguir ter uma melhor estrutura para esses projetos”, conta Samuar.

Ele aponta que a participação no Mix de Fomento da ABGI também causa impactos positivos na cultura da cooperativa. “A Coprel sempre foi inovadora, tanto pela energia como pela telecom, mas essa busca por fomento é algo muito novo para nós. Entender as linhas de crédito, as possibilidades, a importância das consultorias também para conseguir o fomento, foi um grande aprendizado”, avalia.

Samuar também ressalta a importância do apoio institucional para a inovação no cooperativismo. “A abertura que o Sistema OCB, a Ocergs e o Sescoop oferecem à área de inovação das cooperativas é muito importante, pois conseguimos visualizar diversas possibilidades”.

Por fim, o orientador de Inovação ressalta a importância do Hub Aliança para o desenvolvimento dos projetos de inovação da Coprel, inclusive os que foram selecionados para integrar o Mix de Fomento. “Toda cooperativa deveria poder contar com uma área de inovação estruturada a fim de fomentar e auxiliar o desenvolvimento de novos projetos inovadores”.

Conclusão: Radar do Financiamento

A ABGI também é parceira do Sistema OCB no Radar de Financiamento, uma plataforma do InovaCoop que compila diversas fontes para que as cooperativas possam obter recursos e tirar suas iniciativas inovadoras do papel.

“O Radar facilita a visualização de um mundo de oportunidades quando se pensa em financiamento e fomento a projetos de inovação. Este é o primeiro passo para adotar estratégias de captação de recursos para ações inovadoras e sustentáveis que são tão essenciais para impulsionar a competitividade das cooperativas nos mais variados ramos”, explica Guilherme Costa, gerente do Núcleo de Inteligência e Inovação da OCB.

Ao todo, mais de 70% dos gastos em iniciativas inovadoras no Brasil são feitos exclusivamente com recursos próprios. Diante disso, buscar oportunidades externas de financiamento é uma maneira de dar mais fôlego para tirar ideias e projetos do papel.

Para aprender a usar o Radar de Financiamento, confira o guia prático em que explicamos o funcionamento e os recursos disponíveis na ferramenta. Além disso, a ABGI também contribuiu para a elaboração de um curso online sobre fontes de fomento para a inovação, que pode ser acessado gratuitamente no CapacitaCoop!

Conteúdo desenvolvido
em parceria com

Coonecta