Fique por dentro

Intraempreendedorismo: transformação de dentro pra fora

Motivação, criatividade, cooperação, trabalho voltado à solução de problemas e obtenção de resultados são características dos intraempreendedores

GESTÃO DA INOVAÇÃO12/01/20247 minutos de leitura

Temos certeza que você já ouviu falar sobre empreendedorismo diversas vezes. Entretanto, você conhece de fato o intraempreendedorismo? Em termos gerais, trata-se do ato de empreender internamente nas instituições, aproveitando os talentos dos colaboradores e cooperados.

A ideia principal é gerar novas possibilidades, oportunidades de negócio e até melhorar os processos dentro de uma organização. Há casos muito famosos de inovação que surgiram graças aos intraempreendedorismo, como a invenção do Post-It, da 3M; do PlayStation, da Sony; e do Gmail, do Google.

De certa maneira, o intraempreendedorismo tem a ver com a reinvenção de um negócio que já existe. Por isso, ele tem potencial para ser uma ótima opção para cooperativas. Neste artigo, vamos entender melhor sobre o que é intraempreendedorismo e como as cooperativas podem colocá-lo em prática. Aproveite a leitura!

Intraempreendedorismo nas cooperativas

Além da proposta de reinvenção, o intraempreendedorismo pode até promover o engajamento de equipes e trazer fortalecimento para a cultura das organizações. Em suma, ele pode ser um caminho bastante eficiente para criar e consolidar a cultura de inovação entre os colaboradores e associados de uma cooperativa.

Por isso que, quando aplicado a uma organização coletiva, o conceito pode abrir espaço para a geração e o aproveitamento de ideias e sugestões de melhoria com relação a produtos, aos serviços e processos da instituição.

Empreendedorismo x Intraempreendedorismo

Como o próprio nome sugere, o intraempreendedorismo deriva do empreendedorismo. Assim, o perfil dos colaboradores mais inclinados a abraçar este conceito dentro das organizações se assemelha ao das pessoas que optam por empreender por conta própria.

Como características mais marcantes entre empreendedores, destacam-se: motivação, criatividade, coragem, cooperação, inovação, trabalho voltado à solução de problemas e obtenção de resultados, proatividade, dentre outras.

Assim, quando eles trabalham em um ambiente corporativo, a tendência é que procurem criar soluções para identificar os problemas e criar estratégias para lidar com eles e, assim, tornar todo o ambiente mais produtivo e humanizado.

Motivos para incentivar o intraempreendedorismo

O conceito de intraempreendedorismo ganhou força a partir da cultura das startups, uma vez que elas costumam adotá-lo com frequência. Isso acontece porque ele proporciona sensação de pertencimento e de autonomia aos colaboradores. Com isso, a capacidade de reter talentos aumenta, mantendo os colaboradores motivados. Junto à motivação, há um aumento da produtividade dentro das organizações.

Nesse sentido, o intraempreendedorismo é um recurso bastante poderoso para reduzir o índice de rotatividade. Consequentemente, as despesas com demissões e novas contratações para as companhias são reduzidas.

A partir do incentivo, as organizações criam um ambiente colaborativo, de engajamento, de proatividade, e de envolvimento com os objetivos da cooperativa. Assim, os colaboradores estão empenhados em diagnosticar os problemas existentes e os gargalos que atrapalham a operação.

Tudo isso porque o senso de pertencimento é inerente ao intraempreendedorismo, fazendo com que os colaboradores se empenhem em melhorar seu próprio trabalho e a cooperativa como um todo.

Por proporcionar um ambiente livre de censura ou punição por erros, o novo conceito torna as organizações mais propícias à inovação. Entre os benefícios de se implementar políticas de intraempreendedorismo nas cooperativas podemos listar os seguintes:

Desafios do intraempreendedorismo

Apesar de a ideia de implantar esse novo conceito nas organizações ser muito positiva, alguns desafios podem aparecer no processo de amadurecimento de uma cultura de intraempreendedorismo. Por vezes, uma mudança na cultura organizacional e um maior incentivo são necessários.

Nesse sentido, companhias tradicionais podem ter uma maior dificuldade para se tornarem empreendedoras sem precisar de ajuda externa. Entretanto, para driblar esses obstáculos, é importante que a colaboração entre os departamentos seja incentivada.

Como criar um ambiente propício ao intraempreendedorismo

O sucesso de uma iniciativa de intraempreendedorismo está relacionado ao estímulo que é dado a partir dos níveis gerenciais. É a partir dessa camada da hierarquia das empresas que é promovida uma série de mudanças no local de trabalho. A finalidade é otimizar todas as circunstâncias e áreas da empresa.

Para que você consiga implementar esse conceito em sua organização, listamos algumas das maneiras que os líderes de uma cooperativa têm para incentivar o intraempreendedorismo. Confira:

Capacitação

Para a equipe poder buscar soluções na inovação, certa preparação se faz necessária. Invista em treinamentos focados em aprimorar competências profissionais e ampliar a visão dos colaboradores sobre a atuação da cooperativa no mercado em que ela está inserida.

Dedique tempo à inovação

Estabeleça um período específico para que os colaboradores possam usar a criatividade e a autonomia com propósito no trabalho. Uma forma produtiva de fazer isso é a partir do fornecimento de projetos que os profissionais possam empreender, focando experiências e competências para encontrar soluções para problemas do dia a dia da cooperativa.

Assim, eles podem explorar novas possibilidades de produtos, serviços, ou melhorar o atendimento ao cliente. Prova disso é a Google, que permitiu que os trabalhadores dedicassem 20% de seu tempo para projetos inovadores. Saiba mais sobre a cultura de inovação e intraempreendedorismo do Google em nosso e-book!

Incentive as lideranças

É a partir da gerência que os demais níveis se motivam a empreender internamente. Por conta disso, é importante que as lideranças se mantenham atualizadas sobre os processos de inovação, mudanças no cenário e no comportamento dos consumidores.

O apoio da liderança foi essencial para a criação de uma cultura de inovação e intraempreendedorismo na Unimed BH, por exemplo.

Contrate intraempreendedores

Parte fundamental do processo de estímulo é a identificação dos colaboradores com perfil empreendedor. Afinal, são eles que irão fazer o intraempreendedorismo acontecer.

Há algumas maneiras de descobrir quais são os talentos já presentes em sua cooperativa. Assim, eles podem ser os pivôs no processo de criação de uma cultura intraempreendedora. São eles:

Feedbacks: o processo consiste em indicar ao colaborador quais são os pontos fortes e fracos identificados em sua performance. Aqueles profissionais que, uma vez tendo identificado tais problemas, se dedicam a eliminar os pontos fracos têm mais potencial para se tornarem intraempreendedores;

• Reuniões de brainstorming: um ambiente amistoso e propício à geração e ao compartilhamento de ideias é um local ideal para achar talentos. Isso porque as reuniões permitem que os colaboradores com a mentalidade de intraempreendedorismo deem novas ideias para solucionar os problemas que observam no cotidiano.

Perfil dos intraempreendedores

Além disso, há algumas características que são muito comuns nos intraempreendedores. Elas podem ser identificadas nas ocasiões em que os funcionários, e até os candidatos, as expressam.

Além da vontade de resolver problemas e inovar, as qualidades que mais se encaixam no intraempreendedorismo são relacionadas à busca por desafios e resultados, senso de equipe, autoliderança e autogestão. Com tantas particularidades, a ACE Cortex até criou um arquétipo para esses tipos de pessoas.

Confira, a seguir, outros atributos encontrados em colaboradores com perfil intraempreendedor: